VEREADOR DO DEM, VADO MALASSOMBRADO É ENCONTRADO NAS DUNAS DO ITAPUÃ COM SINAIS DE CONFUSÃO MENTAL

A Equipe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) encontrou na tarde da quarta-feira (5) o vereador Vado Malassombrado nas dunas de Itapuã.  Ele apresenta sinais de confusão mental, mas passa bem.  
A família dele se encontra no DHPP. 

Na manhã desta quarta-feira (5), o presidente da Câmara Municipal de Salvador, vereador Leo Prates (DEM), confirmou a versão de que o vereador tenha requerido uma carta de renúncia. Entretanto, conforme o demista, o correligionário teria sido orientado pela assessoria legislativa da Casa a reavaliar a possibilidade de abrir mão do mandato.

Segundo Prates, em pronunciamento no Plenário Cosme de Farias, durante evento do Prêmio Jânio Lopo, Vado estava abalado emocionalmente. “(Ele) Saiu com um modelo de carta de renúncia nas mãos e foi impedido pela assessoria da Câmara, dentro dos argumentos, para não renunciar, já que a assessoria viu que ele estava bastante abalado emocionalmente”, contou Leo.

A causa da renúncia é desconhecida e o sumiço de Vado intriga familiares, amigos e os demais vereadores. O caso é investigado pela Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP).  

O vereador Vado Malassombrado (DEM) foi encaminhado para o Hospital Municipal de Salvador após ser encontrado em estado de confusão mental, na manhã desta quarta-feira (5), nas dunas do bairro de Itapuã. A informação foi confirmada pelo presidente da Câmara, Léo Prates (DEM).

O democrata afirmou que o correligionário já passou por exames e está em observação. “Quero agradecer ao secretário de Segurança da Bahia, Maurício Barbosa, que nos deu todo o apoio e assistência. (…) Graças a Deus o nosso colega está bem”, disse o deputado estadual eleito durante a apresentação das alterações do Código Tributário, no Salão Nobre da Casa.

Vado foi dado como desaparecido na última segunda-feira, horas após deixar a Câmara com uma carta de renúncia em mãos. Ele voltou atrás da decisão após apelo dos colegas. Ninguém sabe o motivo que levou o edil a pensar em deixar a cadeira no legislativo municipal.

 Vado deverá passar por exames de sanidade mental para avaliar se tem condições de exercer o mandato até o fim.

 

.

Com informações do BNews