DIAS D’ÁVILA: VOTAÇÃO PARA CONSELHO TUTELAR É TUMULTUADA E MUITOS ELEITORES VÃO EMBORA SEM VOTAR

Compartilhe suas Notícias Preferidas!

E o domingo, 6 de outubro, de eleição para o Conselho Tutelar de Dias d’Ávila foi movimentado e repleto de reclamações.


Pela parte da manhã, a única escola de votação estava lotada, com muitas filas, muitas insatisfação na demora para votar e segundo muitos que lá compareceram – tumultuadas, complicadas e desorganizadas.


Diante disto, muitas pessoas que lá compareceram foram embora sem votar em seus candidatos – insatisfeitos pela demora e pela desorganização. As filas duravam mais de uma hora.


Pra início, o trânsito em frente a Escola Professora Altair da Costa Lima não tinha orientação. Vários veículos estacionaram em frente a mesma atrapalhando o embarque o desembarque rápido de pessoas que chegavam – principalmente de idosos e de pessoas com deficiência ou grávidas. Não havia nenhum plantão de serviço municipal de trânsito para ajudar ou orientar os motoristas neste sentido.


Depois, do lado de dentro – todas as urnas foram colocadas no primeiro andar, sendo que no térreo todas as salas estavam vagas e fechadas. Diante disso, todas as pessoas tiveram que subir a rampa, tumultuando também este acesso e atrapalhando a vida de cadeirantes, idosos e pessoas com certas necessidades.


Já na parte superior, com as filas enormes, uma fila passava na frente da sala de outra votação – embananando os votantes. Com tantas filas e a circulação das pessoas pelo local – o acesso ficou bem mais tumultuado do que se esperava.


Na eleição passada, haviam dez candidatos e cinco escolas para a votação, espalhadas pela cidade. Neste ano, haviam 45 candidatos e apenas uma escola, a Escola Altair.


Muitos candidatos também se manifestaram insatisfeitos, vendo muitos eleitores indo embora sem votar; ouvindo as reclamações que existiam… Houve momentos de manifestações contrárias ao que acontecia – com candidatos pedindo a impugnação do referido pleito por desorganização. Alguns candidatos protagonizaram manifestações chamando a atenção dos presentes.


Depois, por volta das 11 horas a PM interditou o trânsito na referia rua – o que ficou pior – pois as pessoas tinham que caminhar da Praça ACM até a escola – e isso levou muita gente como idosos, grávidas e pessoas com problemas de saúde a irem embora sem sequer descerem do carro.O promotor público estava presente e acompanhou todo o movimento e conversou com diversas pessoas que mostrou ao mesmo as suas insatisfação – bem como ouviu reclamações dos candidatos.