DIAS D’ÁVILA: CHUVA CAUSA TRANSTORNOS AOS DIASDAVILENSES

As chuvas que caem desde domingo dia 2 de dezembro, tem levado os diasdavilenses a ficarem mais alertas. No domingo principalmente, uma chuva com trovoadas, relâmpagos e raios queimaram diverso aparelhos eletro-eletrônicos de moradores – bem como as diversas redes de serviço de fornecimento de  internet da cidade. Com o passar dos dias, as chuvas continuaram caindo – ora fortes, ora mais amenas – mas sem raios e trovoadas. As redes de internet levaram até terça e quarta-feira para serem regularizadas.

Diversas ruas foram inundadas, várias buracos reapareceram nas vias públicas e por duas vezes a Praça ACM, no cruzamento com a Rua Pasteur, voltou a se encher de água – mas nada que assustasse as pessoas. Embora o escoamento demorasse a água da enxurrada não chegou a passar por cima da praça e nem a ameaçar os lojistas de uma enchente. A lagoa que se formou na entrada da Rua Luis Pasteur foi tamanha que vários veículos não arriscaram a passar pelo local. A Avenida Imbassay teve seu leito por várias vezes coberto pela forte enxurrada – mas a vazão do rio mais abaixo conseguiu captar e escoar sem problemas as águas. A vantagem foi que as chuvas não duravam muito tempo – como aconteceu em várias cidades baianas – e isso facilitou que tudo se normalizasse rapidamente.

 

Um raio caiu em um coqueiro existente na Avenida Raul Seixas, em frente a Clínica Santa Helena – danificando a referida árvore.

 

A situação na Feira Municipal foi novamente preocupante, pois a chuva tomou toda a área dos feirantes, passando com força pela ala das confecções e inundando tudo. Teve gente que ficou com água da enxurrada cobrindo os pés e outras com várias mercadorias perdidas. Segundo informações dos feirantes, esta situação ocorre sempre quando chove e até o momento as autoridades não tomaram providências. O acúmulo de enxurrada que se forma na Avenida Brasil em frente a feira se mistura com a água de esgoto e desce pelo Beco da Feira e atravessa depois a outra parte da feira – espalhando fedor, lixo e muito barro.

 

Houve vários pontos de alagamentos em residências nas partes baixas de alguns bairros, principalmente próximos a escoamento de esgotos.

 

Dentre as ocorrências registradas destes temporais, houve o caso de um vazamento no teto e telhado do Banco Bradesco, em horário de funcionamento, que chegou a escoar a água tão forte que em determinado ponto houve o rompimento do forro do estabelecimento bancário. Não houve vítimas e a situação foi controlada.

 

Os dias e as noites persistiram chuvosos, mas nada que alarmasse a população. A quinta-feira dia 6 de dezembro deverá ter o tempo mais firme e sem chuvas, embora o evento “El nino” continue na região.