EX-DEPUTADO ÍNDIO DA COSTA – PSD-RJ, É PRESO PELA PF NA INVESTIGAÇÃO POR FRAUDE NOS CORREIOS

Compartilhe suas Notícias Preferidas!

O ex-deputado federal Índio da Costa (PSD) foi preso preventivamente na manhã desta 6ª feira (6.set.2019), no Rio de Janeiro, em operação da PF (Polícia Federal) que investiga fraudes nos Correios. Outros 8 mandados de prisão preventiva foram expedidos na capital fluminense, além de 2 no interior de São Paulo e 1 em Belo Horizonte (MG).

Índio da Costa foi candidato a vice-presidente em 2010 na chapa de José Serra (PSDB). Quando congressista, relatou o projeto da Lei da Ficha Limpa.

Postal Off

A Operação Postal Off, deflagrada na manhã desta 6ª, mira suposta organização criminosa que atuava junto à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Segundo o órgão, o grupo praticava fraudes que estavam causando prejuízos à empresa “de forma habitual e permanente”.

O grupo atuava nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro e contava com a participação de funcionários da estatal. De acordo com a PF, as cargas postais dos clientes eram distribuídas no fluxo postal sem faturamento ou com faturamento muito inferior ao devido.

Os criminosos identificavam os clientes dos Correios e os induzia a romper seus contratos com a empresa para ter suas encomendas postadas por meio de contratos fraudulentos mantidos entre o grupo e a estatal.

A investigação também identificou pagamentos de vantagens indevidas envolvendo empresários, funcionários públicos e agentes políticos. O esquema causou prejuízo de R$ 13 milhões, segundo avaliação preliminar da PF.

No total, cerca de 110 policiais federais estão cumprindo, além dos mandados de prisão preventiva, 19 de busca e apreensão na cidade do Rio de Janeiro; 5 nos municípios de Tamboré, Cotia, Bauru e São Caetano, no Estado de São Paulo; e 1 em Belo Horizonte. Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Federal de Florianópolis de Santa Catarina.

Por nota, os Correios informaram que estão colaborando “plenamente” com as autoridades e que a empresa permanecerá contribuindo com as investigações para a apuração dos fatos. “Os Correios reafirmam o seu compromisso com a ética, a integridade e a transparência”, diz o comunicado.