INTEGRANTES DA BANDA DE FORRÓ “SALA DE REBOCO” SÃO BALEADOS EM BLITZ DA PM EM IRECÊ E UMA DANÇARINA É MORTA

Compartilhe suas Notícias Preferidas!

Uma ação realizada por guarnições da Polícia Militar na madrugada desta sexta-feira (5), em Irecê, resultou na morte de uma jovem e três pessoas feridas. As vítimas são integrantes da banda de forró Sala de Reboco. A mulher morta, identificada como Gabriela Moura, era dançarina do grupo.

Segundo informações da polícia, a vocalista Joelma Rios, o sanfoneiro Elieselson Possidônio e a dançarina Suelen Sodré Mendonça Pinheiro foram baleados e socorridos para o Hospital Regional de Irecê. Gabriela também foi socorrida, mas morreu na sala de cirurgia.  

Conforme informado pela polícia, por volta de 0h30, o condutor de um veículo Toyota SW4, de cor preta, ocupado pelos músicos, não atendeu a ordem de parada da PM e tentou fugir. Em seguida, equipes militares da Rondesp e Ceto tentaram interceptar o carro. “A guarnição efetuou disparos de arma de fogo para fazer parar o veículo e atingiram os passageiros”, consta no registro.  

O condutor do veículo, identificado como Cláudio Pereira Batista, não foi atingido pelos disparos. Segundo a polícia, ele dirigia supostamente sob efeito de álcool. O caso é investigado pela 14ª Coorpin.

O certo – já que a PM existe para proporcionar segurança pública, seria no caso do veículo ter fugido a blitz, ter feito a perseguição, acompanhando o veículo suspeito e aguardado uma boa oportunidade para abordá-lo – já que dele não houve tiros contra a guarnição. A viatura perseguidora deveria ter se comunicado com outras com a intenção de promover um bloqueio, a abordagem e a identificação das pessoas dentro do carro. Disparos de arma de fogo não poderia ter acontecido contra os ocupantes do carro que, poderiam ter alçado fuga por medo ou por estarem com documentos do carro irregular (ou até mesmo por problemas alcoólicos). Talvez até por não reconhecerem as pessoas da blitz como policiais (o local estava devidamente iluminado? Lembrem-se, a blitz era de madrugada. Havia segurança para quem abordava e para quem fosse abordado?). Se houvesse necessidade de disparar tiros, que fossem feitos contra os pneus.